Formação qualifica ensino remoto

Programa qualificou mais de 1000 professores durante o mês de maio

Professores da PUC Goiás, que estão em Regime Letivo Remoto Extraordinário, participaram de 6 a 20 de maio da 6ª edição do Seminário de Excelência no Ensino da Graduação. A atividade integra o Programa de Formação Continuada da universidade. Nesta edição, o tema foi Metodologias Participativas no Ensino Remoto e trouxe importantes reflexões e instrumentos para enfrentar o período de isolamento social. As aulas em ambiente virtual começaram ainda em março na instituição.

O Programa já é uma tradição da universidade e tem como função manter os professores atualizados a luz das exigências pedagógicas do Ensino Superior. “Neste momento específico, em que a universidade toda foi para o regime remoto, foi imprescindível que fizéssemos toda a preparação dos nossos professores, se capacitarem, se qualificarem para usarem as plataformas oficiais”, explica a pró-reitora de Graduação, professora Sonia Margarida Gomes.

Na sequência, o Programa focou na qualificação das metodologias participativas de ensino. Segundo a professora Luciana Alves Machado, coordenadora de Apoio Pedagógico, a qualificação foi obrigatória para todos os professores da PUC Goiás e foi organizada no formato de seminários, divididos pelas Escolas. Os participantes foram colocados em grupos menores para facilitar a troca de experiência e o debate.

O foco desta fase foi o aprendizado e o professor entra como mediador deste processo. Para isso, professores trabalham para dar autonomia para seus estudantes e para que eles desenvolvam habilidades que tornem todo o processo de aprendizagem possível.

Entre os temas abordados: diferenciação de EAD e Ensino Remoto; papel do professor no Ensino Remoto; formatos de aulas Remotas: assíncronas e síncronas; diferentes metodologias participativas; planejamento das aulas e atividades; multimodalidade de aulas; ferramentas para uso nas aulas remotas; e, diferentes trilhas da aprendizagem.

“A importância desta programação é qualificar o corpo docente  em  novas metodologias e ferramentas para serem usada neste período e para além dele. O impacto é engajar cada vez mais os estudantes em seu processo formativo, a partir de uma condução positiva de nossos professores”, explica a professora Luciana Machado, que coordenou a formação e está na frente de trabalho do Regime Letivo Remoto.

Foram mais de 1300 professores participando dos seminários e discutindo os temas. O uso das ferramentas é uma novidade para muitos, que foram capacitados no começo do processo. “Agora vamos pensar as formas de avaliação, utilizar instrumentos para aulas mais motivadores e que impactem na sala de aula”.

Nas Escolas

Para a diretora da Escola de Ciências e da Computação, professora Miriam Gusmão, foi um momento rico com informações sobre todo o processo vivenciado e relatos de casos positivos com uso de cada metodologia. Na Escola, a programação contou com a presença de  95% do colegiado, onde foram apresentadas as ferramentas tecnológicas de informação e comunicação que a PUC disponibiliza e outras que tem acesso gratuito para que sejam utilizadas nas aulas remotas. “Foi salientada a importância de diversificar e aplicar várias metodologias em uma única aula para que o aluno participe e interaja neste momento para a qualificação do processo ensino-aprendizagem”. Outra dica importante das aos professores foi o uso das bibliotecas virtuais, que estão disponíveis para toda a comunidade acadêmica.

Leia Mais
Sleeping tips for toddlers