Morre dom Pedro Casaldáliga

Bispo emérito é doutor honoris causa pela PUC Goiás

Bispo emérito de São Félix do Araguaia (MT), Dom Pedro Casaldáliga morreu neste sábado, 8, aos 92 anos. Ele estava internado em Batatais (SP), para onde foi transferido de São Félix na última terça-feira, 4, por causa de um grave quadro respiratório. O religioso era Doutor Honoris Causa pela PUC Goiás e uma referência pelo seu trabalho pastoral na defesa dos direitos dos povos indígenas e no combate à violência dos conflitos agrários.

A morte de Casaldáliga foi informada pela Prelazia de São Félix do Araguaia, Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos) e a Ordem de Santo Agostinho (Agostinianos). O velório acontecerá em três locais. Em Batatais, será velado hoje, a partir das 15 horas, na capela do Claretiano – Centro Universitário de Batatais. A missa de exéquias será celebrada, em Batatais, no domingo, às 15 horas e será transmitida no link https://youtu.be/spto8rbKye0.

O corpo de dom Pedro Casaldáliga será velado no Santuário dos Mártires, a partir do dia 10 de agosto, sem previsão de horário de chegada do corpo. E, em São Félix do Araguaia, o corpo será velado no Centro Comunitário Tia Irene, ainda sem previsão de data, e será sepultado no cemitério dos indígenas, conforme sua vontade.

Biografia

Dom Pedro nasceu em 1928, na Catalunha. Veio da Espanha para o Brasil aos 40 anos como missionário e desenvolveu sua ação eclesial em São Félix do Araguaia. Em 1971 foi nomeado bispo da região, ministério que exerceu até 2005, quando renunciou e se tornou bispo emérito. Sempre dedicado às questões dos povos da terra, dom Pedro era uma referência na igreja católica para a teologia da libertação.

Na década de 1970, dom Pedro ajudou a fundar o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e a Comissão Pastoral da Terra junto com o também bispo dom Tomás Balduíno e outras lideranças. As duas entidades têm uma atuação relevante em defesa dos indígenas e dos trabalhadores rurais e sem terra. Também foi um importante organizador e incentivador das Comunidades Eclesiais de Base (CEB), que se espalharam na América Latina inspiradas na Teologia da Libertação e fortaleceram a igreja para o povo..  Por causa da sua atuação em defesa dos direitos humanos, em uma região marcada pela violência e pelo conflito, dom Pedro sofreu vários processos para ser deportado durante a ditadura militar.

Dom Pedro foi o 15º a receber o título de doutor honoris causa da PUC Goiás, em uma cerimônia realizada em setembro de 2012. A entrega do título foi feita pela vice-reitora da PUC Goiás, professora Olga Ronchi, à representantes da comunidade de São Félix, que representaram o bispo. “Quando outorgamos um título de doutor a uma personalidade como dom Pedro, desafiamos a todos nós a observarmos os valores desta pessoa para que sejam postos como luzeiros da nossa trajetória acadêmica e pessoal”, afirmou na época a vice-reitora. O nome de dom Pedro foi indicado por um colegiado de professores dos cursos de Filosofia e Teologia da PUC Goiás.

Leia Mais
Professores de engenharia da PUC Goiás, USP e UFSCar se reúnem para live